O concelho de Estremoz integra o subgrupo de municípios do Alentejo Central. Este insere-se numa região denominada por Zona dos Mármores. O concelho ocupa uma área total de 514 Km2 e tem uma população de 15 657 habitantes (30 hab/Km2). 

É constituído por 13 freguesias, sendo que duas são urbanas – Santo André e Santa Maria – e as onze restantes são rurais: Arcos, Evoramonte, Glória, S. Bento do Ameixial, S. Bento do Cortiço, S. Bento de Ana Loura, S. Domingos de Ana Loura, Santo Estevão, S. Lourenço de Mamporcão, Veiros e Santa Vitória do Ameixial. 

Este concelho goza de uma localização geográfica privilegiada, já que está posicionado no cruzamento das ligações rodoviárias: Lisboa-Madrid e Faro-Guarda. É também de referir que é delimitado a Norte pelos concelhos de Sousel, Fronteira e Monforte. Já a Sul é delimitado pelos concelhos de Évora e Redondo, a Nascente pelos de Borba e Monforte e a Poente pelos de Sousel, Arraiolos e Évora.
Quanto ao clima, este é típico de regiões do interior. As amplitudes térmicas anuais são consideráveis. No Inverno as temperaturas médias mensais são de 10ºC, no Verão são de mais de 20ºC, chegando a serem superiores a 35ºC. Já a precipitação tem um total anual de 661,8mm.
Estremoz atinge uma altitude de 448m. Da sua posição sobranceira é possível admirar a bela e vasta paisagem rural. A nascente da cidade, a paisagem é marcada pela exploração e extracção de mármore, uma das actividades económicas.

No que respeita à ocupação dos solos, predomina a cultura extensiva e de sequeiro. As culturas com mais relevância são a vinha, os cereais e a floresta. Esta última divide-se em montado de sobro e azevinho, pinhal, eucaliptal e matos incultos. Além da agricultura, existe uma pequena área de solos que é ocupada por pedreiras de extracção de mármore.
A vinha tem vindo a substituir a cultura dos cereais, contando-se em Estremoz cerca de vinte Adegas. É também de notar a existência de algumas manchas de terreno ocupadas por pinhal, eucaliptal e matas incultas, particularmente na Serra D’Ossa.

Sendo os solos ocupados maioritariamente por explorações agrícolas e pedreiras, as principais actividades económicas do concelho estão relacionadas com estas. São então as principais actividades económicas: as actividades agrícolas (vinho e horticultura) e a indústria extractiva do mármore. Existe ainda uma parte, ainda pequena, da população a trabalhar no sector da indústria e dos serviços, mas há uma tendência para crescimento. Tem-se verificado ao longo do tempo que estes dois sectores têm vindo a crescer e a solidificar-se.

Para além das actividades económicas já referidas, predomina o artesanato, as feiras e o turismo.

O artesanato é feito com os materiais que a terra dá, tais como o mármore, o barro e a cortiça. 
Quanto às feiras destacam-se dois certames anuais: a FIAPE (Feira Internacional de Agro- Pecuária de Estremoz/Feira de Artesanato) e a Cozinha dos Ganhões. A gastronomia regional, criada a partir de uma reduzida variedade de ingredientes e de processos simples, encontrados pela sabedoria do povo, é um deleite para os sentidos.
Predominam as carnes de porco e de borrego, as sopas tradicionais de pão de trigo condimentadas com ervas aromáticas (que crescem espontaneamente nos campos), o queijo de leite de ovelha e os enchidos.
A tradição conventual oferece uma doçaria feita à base de gemas de ovo, amêndoas e gila.
Detentora de um património cultural inigualável e de um conjunto de unidades hoteleiras de qualidade e acessíveis a diferentes “bolsas”, Estremoz atrai cada vez mais visitantes.